TOFI: Você já ouviu falar neste termo?

TOFI: Você já ouviu falar neste termo?

Sabe aquela amiga que você sempre vê comendo o tempo todo, como se fosse o último prato da vida, e, apesar desta volúpia toda, é magra como um palito de dente? Essas pessoas geralmente têm alguns apelidos carinhosos como “magra de ruim”, Magali ou outros não tão carinhosos assim.

A verdade é que muitos gostariam de ter esta liberdade de comer o que quiser e serem magros e saudáveis…

O pneuzinho incomoda bastante,  mas existe outro tipo de gordura invisível aos olhos muito mais prejudicial.

O pneuzinho incomoda bastante, mas existe outro tipo de gordura invisível aos olhos muito mais prejudicial.

Mas a realidade é que, apesar da aparência magra, não necessariamente significa que sua amiga Magali é saudável. Nada de generalizações, mas este acontecimento, chamado aqui nos EUA de TOFI (Thin on the outside, Fat inside – Magro por fora, gordo por dentro), é mais comum do que imaginamos.

O perigo desta condição está na camuflagem que o próprio corpo oferece. “Se estou magro e esbelto, significa que estou bem”, pensam muitos. O famoso pneuzinho, a papada, a barriguinha de chope são fáceis de serem percebidos.

Lutadores de sumô têm menos gordura visceral que muitos magrinhos por aí...

Lutadores de sumô têm menos gordura visceral que muitos magrinhos por aí…

Mas a gordura subcutânea, apesar de incômoda, é um mero estoque das sobras que o organismo armazena. A gordura mais perigosa é aquela que está escondida nas entranhas, conhecida como visceral, pois fica infiltrada em músculos e órgãos vitais, como o fígado ou o próprio coração, podendo causar problemas muito mais sérios, como o mau colesterol, diabetes ou diversas cardiopatias.

Os reais motivos para este tipo de ocorrência (TOFI) não são completamente nítidos. Há questões genéticas, alimentares e de estilo de vida. Se fugir da herança genérica não é possível, buscar um estilo de vida ativo e hábitos alimentares saudáveis é um objetivo acessível a qualquer um.

Facebook Comments