Alimentação no pós-parto: dieta x reeducação alimentar

Alimentação no pós-parto: dieta x reeducação alimentar

Dar à luz um bebê não é uma tarefa nem um pouco fácil. Depois de nove meses carregando aquele pequeno ser, um trabalho de parto intenso e a recuperação e adaptação à vida nova não são nada fáceis.

Logo depois do parto da minha couve baby senti a barriga murchar e confesso que fiquei impressionada, pois achei que o cenário seria bem pior uma vez que a bebê nascesse. Com o corpo cansado e uma fome de leão que invadia as madrugadas nas primeiras seis semanas, achei que fosse emagrecer rápido, pois, quando cheguei em casa, vi que havia perdido cinco dos oito quilos que havia engordado.

Muito inchasso me acompanhava, eu bebia muita água e comia bastante. Tive o privilégio de ser cuidada por minha mãe e minha sogra até pouco mais de um mês da minha baby. Depois que elas foram embora, me deixaram com 1,5kg a mais na balança. Aproveitei pra comer aquela comidinha caseira com direito a sobremesa. Não quis me privar de curtir essa fase, pois, como moramos longe, sabia que a vida seria puxada quando elas fossem embora. A partir daí, por mais que eu tenha voltado (aos poucos) a comer mais saudável, cometi alguns exageros. Comi muito pão com Nutella e brigadeiro de Leite Ninho (risos).

Todos os deslizes que não fiz nos nove meses de gestação acabei fazendo agora. A ansiedade colaborou bastante. O cansaço também. Aquela conhecida desculpa de que “eu mereço” porque estava cansada, não havia dormido direito e podia ter ao menos o prazer da comida.

Para evitar deslizes, opções saudáveis na geladeira.

Para evitar deslizes, opções saudáveis na geladeira.

Só que chegou uma hora em que precisei sair de casa (porque até então estava enclausurada por conta da recém-nascida e do puerpério). E aí? Com que roupa eu vou? Oops! Não tenho mais a “desculpa” da barriga de grávida! Os vestidos não caem tão bem… É claro que eu tenho orgulho de ter carregado uma vidinha tão linda, mas quero me cuidar, quero me sentir bem. O nível de dificuldade para a mãe se cuidar no pós-parto é o maior possível. Considere que eu moro em outro país e não tenho ajuda de ninguém (além do Couve Pai) pra cuidar da Couve Baby! Eu não soube o que era fazer uma escova por um bom tempo… Mas voltando à alimentação, pra não perder o foco (risos), conversei com o marido e combinamos que precisávamos comer melhor, mais saudável. Eu nunca pensei em fazer dieta, pois estou amamentando e quero continuar por um bom tempo. Amamentar é uma das melhores sensações da vida! Não quero que o leite seque de forma alguma, e sei que para isso preciso comer bem. Isso significa comer pouco? Não. Significa abrir mão de doces, geleias, chocolates, frituras, congelados prontos e todas aquelas comidas de fast food.

Meu plano é fazer uma reeducação alimentar, com várias refeições ao dia, como aquela que me ajudou a perder 20kg antes de engravidar e engordar pouco na gravidez. Não deixarei de beber muita água e comer os nutrientes essenciais para a produção de leite e para ter energia para cuidar da Baby Couve. Não é fácil resistir às tentações, mas por isso criamos o Couve com Laranja. Pra contar nossa história e manter o compromisso de ter uma vida mais saudável.

Facebook Comments